Cinema de João Pessoa é autuado pelo MP-Procon após impedir entrada de clientes em sessão

Cinépolis do Manaíra Shopping, em João Pessoa é autuado após impedir clientes de entrar em uma das sessões — Foto: Divulgação/MPPB

O Cinépolis do Manaíra Shopping, em João Pessoa, foi autuado nesta segunda-feira (17), por propaganda enganosa e descumprimento do Código de Defesa do Consumidor, pelo Programa de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério Público da Paraíba (MP-Procon), Procon de João Pessoa e Delegacia do Consumidor, após impedir que consumidores pudessem entrar em uma sessão.

O G1 tentou entrar em contato com a assessoria de comunicação do Cinépolis, mas as ligações não foram atendidas.

O caso aconteceu após a gerência do cinema alegar que estava com problemas para validar os ingressos adquiridos através de uma promoção em um site de compras coletivas. Entre os clientes, estavam mais de 80 crianças e adolescentes de uma escola pública do município de Cruz do Espírito Santo.

Segundo a professora responsável pelos estudantes, Lucinéia Teixeira, “a gerência não teve sensibilidade para ver que se tratavam de crianças. Muitas começaram a chorar, pensando que teríamos que voltar para nossa cidade, sem ir ao cinema. Foi muita humilhação e constrangimento”.

O caso só foi resolvido com a chegada do Ministério Público, Procon e a delegacia. As crianças e adolescentes tiveram o acesso liberado à sala, mas segundo Lucinéia, outros clientes começaram a chegar na sessão e “mandavam os alunos saírem das poltronas porque tinham comprado aquele assento”.

De acordo com o promotor de Justiça de Defesa do Consumidor da Capital e diretor do MP-Procon, Francisco Glauberto Bezerra, será instaurado inquérito civil público para apurar a responsabilidade do Cinépolis e do site ‘Peixe Urbano’ no caso. “Esses alunos sofreram uma violência silenciosa”, disse. Ainda segundo o promotor, outros clientes que se sentiram constrangidos ou lesados com a situação podem procurar o MP-Procon.

Além da autuação, o estabelecimento deve ser multado, conforme prevê o Código de Defesa do Consumidor. O Cinépolis tem dez dias para apresentar defesa junto ao MP-Procon.

G1 Paraíba


DEIXE SEU COMENTÁRIO